Skip to content

A primeira página

janeiro 15, 2007
by

Preparamos o post de hoje para mostrar prá vocês o nosso primeiro trabalho em scrapbooking digital, aproveitando para contar, também, como entramos no mundo do scrap, as dificuldades que tínhamos no início, as nossas primeiras referências e, por fim, como evoluímos até aqui, buscando sempre pela melhoria contínua dos nossos trabalhos.

O treino é uma das partes essenciais para a criação de belas páginas. Por isso, se você está começando agora, não se desespere, nem desanime, caso o resultado dos seus primeiros layouts não seja exatamente aquele que você esperou. Tudo é uma questão de prática!

Vejam os nossos depoimentos!

ANA AMORIM
Conheci o scrapbooking digital através da Dúnia, minha amiga blogueira e “mafiosa” do Amigas e-Mães. Nesta época, em março de 2006, eu já era fascinada por edição de imagens em função do blog da minha filha. Eu mesma criava os banners para o blog, fazia montagens com as fotografias e, a partir daí, comecei a fazer convites de aniversário e lembrancinhas diversas. Vendo os trabalhos da Dú, fiquei maravilhada com a possibilidade de poder criar, no computador, uma página em scrapbooking, que já tinha me cativado uns meses antes, quando encontrei nas bancas uma revista de scrap artesanal. O primeiro site que a Dú me indicou para downloads de freebies foi o Shabby Princess. Algum tempo depois surgiram em minha vida o Scrapblog e o fórum DSB, onde aprendi muito do que eu sei sobre Photoshop e onde comecei a entender melhor os conceitos de criação de uma página (sobreposição dos elementos, proporção, iluminação, sombra, etc). Quando montei minha primeira página, não tinha a mínima noção dessas coisas! Hoje em dia aprendo muito com dicas e críticas de amigas que são feras no assunto. Outro jeito que gosto de “estudar scrap” é visitando as galerias das minhas musas para analisar seus layouts e estimular a inspiração.

Créditos: Spring Breeze Kit by Shabby Princess Design, fonte Scriptina.

MIC
Eu sempre fiz montagens no Photoshop pra convites de aniversário e outras brincadeiras. Mas nunca imaginei que um dia havia kits e vários recursos que a gente pudesse comprar pra facilitar nossa vida. Então descobri o Scrap artesanal. Fiz umas páginas durante a gravidez do meu primeiro filho, mas quando ele nasceu não pude continuar, por razões óbvias! Então, minha amiga Malu me falou sobre o Scrap Digital e me chamou pra participar de uma lista junto com ela. Pronto! Tinha início o meu vício! Não lembro qual foi a minha primeira página, mas essa é umas das mais antigas. E dá pra perceber, né? Os kits eram freebies, com pouquíssimos acessórios (até porque eu nem saberia usá-los). Aos poucos, fui aprendendo a usar sombras, recursos de texto e me senti pronta pra investir em kits. Acho que agora já estou quase deixando de engatinhar pra começar a andar! E todo dia é dia de aprender um novo recurso ou efeito. E é pra isso que existe o Scrapblog!

ANA PAULA
Fiz a minha primeira página em dezembro de 2005. Naquela época eu não tinha a mínima noção do que era o scrapbook digital, por isso não tenho nem créditos dela. Uma das minhas primeiras referências no scrapbooking foi o site Scrapbook Bytes, onde criei minha primeira galeria. De lá pra cá, eu conheci muita gente bacana do meio, inclusive brasileiras. Uma das minhas inspirações no início do meu vício foi (e ainda é) a Line Prado.

MALU
Fui apresentada ao mundo do scrapdigital através da Line Prado, super musa inpsiradora (rs). Lia com regularidade o blog do Lui, filhinho dela, onde ela começou a postar seus trabalhos usando ele como inspiração. Fiquei enloquecida e comecei a correr atrás de mais informações. E aí meu leque se abriu. Fiquei encantada com os sites internacionais, com as designers e com os trabalhos das galerias. E resolvi mergulhar de cabeça também. Foi assim que tudo começou… Amor à primeira vista (rs)!

CARLA
Na verdade, eu conheci primeiro o scrap “tradicional”, de papel, e só depois fui saber que existia o digital. Comecei fuçando no Paint Shop, fazendo algumas montagens em que o máximo que fazia era uma moldura e uma figurinha ao lado da foto. Visitando o blog da Rêca, comecei a ver uns trabalhos dela usando clips, costuras, e escrevi perguntando onde ela conseguia tudo aquilo. Ela respondeu me dando vários links de sites freebies, e desde então, nunca mais parei. Isso foi em outubro/2005. Aí é que comecei a aprender o Photoshop, e deixei o Paint de lado… ah, sim: e depois que conheci o digital, o tradicional acabou ficando meio abandonado, em meio à muitas ferramentas, papéis, fitas, etc…

ANINHA REIS
Visitando alguns blogs amigos conheci o scrap artesanal. Comprei alguns papéis, elementos, cola própria, ferramentas, revistas, visitei uma feira em São Paulo, mas nunca me aventurei a fazer nenhuma página. Na verdade tenho dó de recortar ou rasgar e acabar estragando papéis tão lindos, acho que nem sei por onde começar. Vai entender… Estão bem guardados e quem sabe um dia eu não me arrisco. O fato é que um tempo depois quando conheci o Scrap Digital, fiquei apaixonada. Foi no final de 2005 quando fui convidada a participar de uma lista de discussão no assunto. Achei bárbaro poder refazer, adaptar, muito mais prático. Já tinha conhecimentos no PhotoShop, fotos legais e com a ajuda de várias pessoas experientes e talentosas, conheci os famosos freebies e comecei a fazer meus primeiros layouts. Gostava muito de participar dos desafios lançados, eram uma grande motivação pra mim e no caso desse primeiro layout, o desafio era o uso de sketch.

Um beijo e até +!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: