Skip to content

Sombreamento no scrapbooking

julho 24, 2007
by

Hoje nós vamos conversar um pouquinho sobre o uso das sombras no scrapbooking digital. Quem já está “na estrada” há um certo tempo sabe que o sombreamento é um dos fatores mais importantes na composição de uma página e, por essa razão, merece uma atenção toda especial por parte do scrapper. Por mais simples que seja um trabalho, se o sombreamento estiver legal, a página vai ficar bacana.

No photoshop as sombras são adicionadas em Estilo de Camada (Layer Style), conforme mostra a figura abaixo (clique para ampliar):

Na janela Drop Shadow que se abrirá, você pode controlar vários parâmetros da sombra, tais como opacidade, ângulo, distância e tamanho. E é exatamente na hora de atribuir um valor para cada um destes parâmetros que surgem milhões de dúvidas.

Acho que a intenção de todo digiscrapper é fazer com que a aparência de sua página se aproxime muito do scrapbooking artesanal. E se você não usar sombreamento algum, a página fica sem profundidade, como se fosse apenas uma ilustração de revista. Mas também não dá prá exagerar e escolher sombras muito escuras e espessas para não transmitir a sensação de que os elementos estão “sobrevoando” o layout. A escolha das sombras deve ser criteriosa e pode parecer complicada. Mas com um pouquinho de prática a gente logo percebe que não é nenhum bicho de sete cabeças.

Uma coisa que nós temos que ter em mente é que o tipo de sombra que fica legal para um papel, por exemplo, pode não surtir efeito para uma fita ou para uma flor. Então cada elemento tem um tipo de sombreamento que lhe é mais adequado. Vejamos alguns exemplos:

  • Papel – por ser muito fino, este é um elemento que produz pouca sombra. Portanto seu tamanho deve ser pequeno (em torno de 5 px) e a opacidade ajustada de acordo com o plano de fundo. Quanto mais escuro, maior deverá ser a opacidade. Eu geralmente uso até 40% para papel em fundo claro e 70% para fundo escuro.
  • Foto – o tamanho da sombra da fotografia pode ser um pouquinho maior que a do papel, já que a espessura da foto é ligeiramente mais grossa. A diferença pode ser de 1 ou 2 pixels apenas. Você pode usar o mesmo raciocínio para escolher a opacidade da sombra.
  • Fitas e laços – as fitas projetam sombras maiores que as do papel e foto. Além disso, existe a questão da distância a qual a sombra está projetada – basta pensar que a sombra de um lacinho sofre bem mais distorção da luz do que a sombra de um papel, já que o papel fica colado na página, enquanto o laço fica mais soltinho e flutuante. Mas cuidado para não exagerar na sombra, apesar da aparência flutuante o laço não sobrevoa o papel. Experimente usar uma distância em torno de 5 px, tamanho por volta de 10 e vá brincando a partir desses valores até você ter a sensação de que a sombra está legal. A opacidade pode variar de 50 a 80%, sempre em concordância com o papel de fundo.
  • Botões – são elementos que projetam sombra a uma certa distância também, embora seja menor que as fitas. Nesses elementos pode-se usar uma opacidade maior e, se for necessário, um pouquinho de sombra interna (Inner Shadow), cuja opacidade deve ser bem fraquinha.
  • Flores – algumas flores são bem volumosas e produzem bastante sombra. Quando a flor tem pétalas esvoaçantes, por exemplo, dá prá usar bastante opacidade, tamanho grande (por volta de 25 px) e uma distância boa também (em torno de 10 px). Outras flores, como as de feltro, são mais fininhas e não produzem tanta sombra assim.

Claro que isso tudo que acabei de descrever não constitui uma regra a ser seguida, até mesmo porque eu não sou nenhuma especialista no assunto. Mas é legal você pensar na sombra dos elementos reais para compor o sombreamento do seu layout digital.

Se você ainda se sente inseguro para atribuir valores para os parâmetros que compõem a sombra, use o seguinte macete: inicie o sombreamento do elemento que estiver mais próximo do plano de fundo com zero px de distância, 5 px de tamanho e 30% de opacidade. Usando o bom senso, vá aumentanto esses valores na medida em que os elementos vão se posicionando mais acima e, assim, se “distanciando” do papel.

Ex: uma flor que está por cima de uma fita, que está por cima de uma tira de papel, que está sobre o plano de fundo. A tira de papel fica com a sombra menor, pois está próxima ao plano de fundo. A fita tem mais sombra que o papel e a flor tem mais sobra que a fita. Sacaram??

Uma dica interessante é visitar muito a galeria das musas do scrapbooking. Não só para admirar os layouts ou escolher uma página para scrapliftar, mas sim para analisar a fundo o modo como elas fazem o sombreamento de cada objeto. Uma moça que é perfeita no quesito sombra (e em todos os outros também – hahaha) é a Gina Miller. Indico, ainda, as galerias fantásticas da Raine O’Dell (aka Juliet) e da Karen Wong para quem quiser “estudar” um pouquinho sobre o assunto.

Prá terminar, saiba alguns elementos que não devem conter sombreamento:

  • Fontes, journaling
  • Doodles, rabiscos
  • Glitter
  • Brushes que simulam aplicação de tinta

Elementos como estes não produzem sombra pois representam a escrita ou a pintura sobre o papel. Fazendo um rabisco ou escrevendo o seu nome em uma folha de caderno a gente logo nota que nenhuma sombra é projetada! Já os alphas, dependendo do tipo, podem ter um pouquinho de sombreamento. Se o alpha for em chipboard vai produzir mais sombra que um adesivo, por exemplo, que quase não tem sombra nenhuma.

Espero que vocês gostem das dicas de hoje!
Um beijo e até +!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: