Skip to content

Scrap for o quê?

outubro 6, 2008
by

Oi gente! Ainda não me recuperei do susto de ter sido escolhida como convidada de outubro aqui no Scrapblog, mas nem as meninas, e muito menos vocês, terão que esperar minha crise de tiete passar… eu só quero dizer que é muito bom estar aqui, e com certeza vou morrer de saudades das conversas nos bastidores quando meu mês por aqui acabar!

Mas vamos ao que interessa… o assunto que eu escolhi para conversar com vocês está em evidência no mundo do scrapbooking digital, e ainda existem algumas dúvidas em relação ao que é permitido ou não quando falamos em scrap for hire(S4H)/others. De um modo geral, as regras vão sendo criadas conforme aparece a necessidade, até mesmo porque, a cada semana surgem novas lojas, muitas scrapers tornam-se designers, e esse mercado em constante crescimento exige que designers e clientes tenham seus direitos assegurados. Apesar de a internet parecer um território sem lei, principalmente pela facilidade cada vez maior de acesso à rede, sabemos que não é assim e as leis de direitos autorais existem justamente para isso.

Scrap for others é um termo em inglês e nada mais é do que você fazer projetos para outras pessoas, mas nesse caso, sem obter lucro. É aquele LO que você cria para a amiga, ou até mesmo um álbum para um parente, um projeto híbrido para presentear a professora de seu filho. Mesmo sendo sem fins lucrativos, algumas designers não permitem a utilização de seus produtos para esse fim, apenas para uso estritamente pessoal. A melhor maneira de saber, sempre, se você está agindo certo, é consultar os termos de uso da designer e em caso de dúvidas, escrever para ela.

Quando falamos em scrap for hire(também um termo em inglês), aí sim, existe a possibilidade de se ganhar dinheiro com seu trabalho. E também é nesse momento que começam as dúvidas, porque algumas designers são favoráveis a essa atividade, mas com regras particulares. Usando produtos de designers “scrap 4 hire friendly”(favoráveis ao scrap for hire), você pode fazer LOs, álbuns, projetos híbridos de todo tipo, e até mesmo cartões, desde que seja em pequena escala e que você use sua arte, criatividade, ao criá-lo. Algumas designers colocam como limite um número de 200/ano, ou seja, você pode usar determinado produto apenas 200 vezes num período de um ano, para restringir o uso do material. Algumas vendem os produtos como sendo de uso pessoal, mas você pode adquirir a licença para uso comercial e nessa parte, novamente, há variações, algumas designers vendem licença para apenas alguns meses, outras uma licença única.

Outro ponto importante é a forma como o material é entregue ao seu cliente, Deve sempre ser em formato .jpg e com a foto já incluída, ou, se for o arquivo em .psd, com as camadas mescladas, de modo que não se possa fazer alterações dos gráficos. O comércio de cartões ou páginas sem as fotos fica proibido, pois seriam considerados quick pages, e essas, apenas as designers podem vender em suas lojas.

Mas o modo mais seguro de agir é sempre procurar conversar com a designer que você deseja usar o material e saber qual a postura dela quanto à utilização dos seus gráficos.

Conversei com duas designers favoráveis ao S4H, Cori Gammon, que permite que todos os seus produtos sejam utilizados com esse fim, e Krystal Hartley, que inclusive, vende também em uma loja que é toda direcionada ao SF4, a Faith sisters.

– Por que você decidiu se tornar favorável ao S4H? você recebe muitos pedidos de clientes?

Cori: Eu recebo muitos emails com questões sobre S4H. Eu decidi vender meus produtos como “S4H friendly” sem custos adicionais, pois queria ajudar outras mães (assim como eu) a ganhar um pouco de dinheiro e assim poderem ajudar nas despesas da casa.

– Você acha que isso é uma tendência no mundo do scrap e cada vez mais designers serão adeptas do S4H?

Krystal: Eu realmente acho que cada vez mais as designers perceberão as necessidades do mercado e venderão seus produtos já com a licença incluída ou com uma licença à parte. As scrapers que vendem suas artes são fiéis às lojas que vendem produtos S4H friendly, ainda que seja apenas produtos para uso pessoal.

– você acha que é uma boa idéia a designer ser S4H friendly? você percebeu um aumento nas suas vendas desde que você aderiu a essa pratica?

CG:Eu acho que é uma oportunidade maravilhosa para meus produtos serem vistos por diferentes pessoas e atingirem diferentes mercados. Agora, eu tenho um número muito maior de fotógrafos e artistas que trabalham com cartões e artesanatos na minha lista de clientes .

KH:Realmente, acho uma idéia muito boa. Ainda não posso dizer que minhas vendas aumentaram, mas já ouvi colegas relatarem um aumento sim, tanto é que algumas lojas já são totalmente favoráveis ao S4H, como Polka Dot Potato, Sweet Shoppe Designs, e Faith Sisters. As scrapers são muito fiéis a essas lojas e sempre procuram por lá os materiais que precisam.

Você pode encontrar uma lista constantemente atualizada de designers e lojas favoráveis ao S4H neste tópico do DST: aqui

E, como falei algumas vezes no texto, a melhor maneira de saber se estamos agindo corretamente, é escrever para a designer e tirar todas as suas duvidas!

Anúncios
Deixe um comentário leave one →
  1. priscila permalink
    outubro 6, 2008 4:40 pm

    Nossa adorei a materia

  2. Simoni permalink
    outubro 6, 2008 4:50 pm

    Adorei seu post Fe!!!

  3. Paty Medeiros permalink
    outubro 6, 2008 4:55 pm

    Gostei do Post. Realmente é bom saber das coisas pra não fazer “Bobagens digitais”…

  4. Rosemere permalink
    outubro 6, 2008 8:42 pm

    “Fe” (já achamos um apelido carinhoso para você, heheh),

    Adorei o seu post, parabéns!

    Gostei principalmente de saber das designers e das lojas que permitem o S4H. Vou dar uma passadinha nos links que você indicou.

    Espero mais coisas legais vindas de você!

    Abraços,

    Rose

  5. Lili Zysman permalink
    outubro 6, 2008 11:41 pm

    Adorei seu post Fê!!!! Bela estréia!!!!!!!!

  6. outubro 7, 2008 9:35 am

    Adorei o post, Fê!! 🙂

  7. Ana Amorim permalink*
    outubro 7, 2008 9:42 am

    É, Ferdy!
    Esse post ficou o máximo, tudo super bem explicado e esclarecedor!
    ADOREI!

  8. Suzane permalink
    outubro 7, 2008 10:55 am

    Nossa, há um tempo estava querendo tirar uma dúvidas sobre S4H… sua matéria caiu como uma luva!
    Muito obrigada!

  9. outubro 7, 2008 12:13 pm

    Ferdy, arrasou!

    Eu adorei como vc explicou isso!!!
    Como somos todas bastante preocupadas em não transgredir as “leis” do scrap, gostaria de colocar aqui uma opinião pessoal minha sobre como eu estava seguindo o que é permitido no PERSONAL USE:

    [b]O scrap for others- S4O – [/b] com essa conotação de que é para fazer Scrap para amigos/parentes eu desconhecia. Dar layout de presente para amigo/ amiga para mim é PERSONAL USE. Fazer álbum e presentear alguém, idem!

    Veja que tem uma linha bem tênue dividindo o uso pessoal do scrap (PU) e do scrap para outros (S4O).

    Para mim, o Scrap 4 Others é quando uma pessoa (amiga, parente ou conhecida ) escolhe um kit e pede para uma scrapper fazer os layouts. Ou pede para vc fazer um álbum para ela. Portanto, ela define kit, cores, tema, etc., claro que sem remuneração.

    Resumindo, se a sua amiga pede para vc fazer um layout é scrap4 others e é diferente do que se eu faço um layout e dou de presente para uma amiga. Nesse segundo caso eu estou dentro do personal use!

    Portanto, o personal use é quando eu compro = e eu uso pra mim. (claro q os presentes para parentes e amigos estão inclusos, pois estas pessoas fazem parte da minha galeria pessoal de fotos que uso p o scrap).

    Só mais um complemento: RAK é uma expressão que as americanas usam quando fazem um layout de presente para alguém. Isso também é usado em desafios e vemos esses RAKs nas galerias de scrapbooking digital em geral, e que para mim é a prova maior de que podemos sim, fazer layout para presentear amigas dentro da conotação Personal Use.

    É muito comum vermos uma scrapper fazendo um layout para outra amiga scrapper, e, se isso fosse “proibido” dentro do personal use, para mim o o scrap não teria mais sentido!

    Ferdy, tudo que vc explicou acima está maravilhosamente explicado e tenha a certeza de que eu apenas estou deixando aqui a minha interepretação pessoal de como eu vejo um RAK dentro do Personal Use.

    beijos a todas e “bom scrap”!

  10. Maga permalink
    outubro 7, 2008 1:37 pm

    Ferdy!! Amei teu post!!
    Super explicativo, e ajudou muito, porque eu realmente ficava doidinha com todas estas abreviaturas em inglês!!
    Grande estréia, parabéns!

  11. outubro 7, 2008 5:15 pm

    Fico feliz que vcs curtiram, obrigada pelo carinho!

    Silke, obrigada por trazer mais um ponto de vista no assunto!

    na verdade, eu vejo essa definição de scrap for others quase como uma jogada de marketing, ou um nome bonito para o que todo mundo faz. Porque no começo, e eu estou no scrap digital só há um ano e meio, lembro que muitas designers eram rígidas e colocavam uso pessoal como sendo exclusivamente pra vc, nem presentear era liberado! Com o passar do tempo, já se via nos TOUs que algumas liberavam, menos se fosse para a venda dos LOs, outras liberavam para vc fazer projetos com os LOs, mas nunca reutilizando o material para criação de kits.
    Hoje, vemos que as designers são favoráveis ao scrap for hire…ou seja, vc ser contratada para scrapear E ser paga por isso….o scrap for others fica desnescessário, pq se elas liberam pra vc ganhar $, sem ganhar, fica redundante mencionar, então, acho que é como aquela coisa, de vc dizer que o óleo vegetal não tem colesterol…hahaha!

    o difícil é conseguir estabelecer quais as regras de cada designer, cada uma adiciona um porém nas regras, acaba sendo mais difícil saber qdo estamos dentro da lei ou não!

    bjs,
    Ferdy

  12. outubro 7, 2008 5:29 pm

    … é verdade, Fê! Cada designer vai acomodando e adaptando as regras pra si. Por isso eu concordo com vc em dizer que é muito importante que, se alguém pretende ter uma atividade remunerada com o scrap, que consulte sempre individualmente a designer da qual pretende adquirir produtos.
    Se a pessoa não souber se comunicar em inglês para fazer a consulta à designer peça ajuda, mas não deixe de ir atrás da informação para ver o que pode e o que não pode!
    Obrigada pelo carinho

    bjs a todas,

    Silke

  13. outubro 22, 2008 10:22 pm

    Ferdy!!! Tou amando as suas participações!
    Esse post, então, tá super esclarecedor e perfeito… acho o tema super atual, principalmente que, quando se começa a fazer LO’s as pessoas sempre te procuram querendo algum trabalhinho com fotos, pois, todo mundo gosta de guardar bem suas recordações, mas nem todo mundo leva jeito ou tem mesmo paciência para criar.
    Ultimamente, até por isso, tenho dado preferência na compra de produtos com este tipo de licença e acredito que isso seja mesmo uma tendência entre scrappers e designers…

    Parabéns pela sua participação: está arrasando!!

    Beijooooooos!!!

  14. Fernanda de Castro permalink
    novembro 13, 2008 12:55 pm

    Seu texto está realmente ótimo, só acho que faltou vc falar com quem é contra. Desse jeito seu texto fica parcial, né? Desculpa me intrometer, mas sou jornalista e só queria fazer uma crítica construtiva. Na verdade, concordo com tudo que você escreveu!!!! 😉

  15. novembro 8, 2009 8:09 pm

    Muito esclarecedor o post! Adorei.
    Obrigada, Ferdy.
    Bjs
    .-= Ana Paula Batista´s last blog ..Selinho!!! =-.

  16. novembro 8, 2009 8:10 pm

    Muito esclarecedor o post! Adorei.
    Obrigada, Ferdy.
    Bjs

Trackbacks

  1. Scrapblog » Sexta freebie!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: